domingo, 29 de abril de 2012

Individualismo: O grande tumor da sociedade contemporânea.


Ele dispensa apresentações, já é de casa!


Uma pessoa está procurando um endereço de um prédio onde irá fazer uma entrevista de emprego, como está perdido resolve perguntar para as pessoas que passam diariamente em uma rua bem movimentada:
    -Olá amigo, por favor você pode me dar uma informação? Oi, por favor ? Droga lá se foi mais um com seu fone de ouvido e nem me deu atenção e eu precisando de uma informação, será que nessa grande “selva de pedra” alguém será solidário em me ajudar?! Olha aquele moço engravatado, acho que ele pode me auxiliar.
    - Bom dia senhor eu preciso de uma informação, eu estou procurando uma rua chamada...

    O homem engravatado nem para, continua andando e lhe diz:
    - Com licença, estou super atrasado e não posso ajudar.
    O indivíduo necessitado pela informação responde:
    - Puxa que cara grosseiro! Ele na mesma hora visualiza uma mulher e diz consigo mesmo:
    - Olha uma moça falando no celular, acho que ela pode me auxiliar:
    - Oi moça, eu preciso de uma informação...
    A moça totalmente presa na sua singularidade, pede um tempo na conversa com seu parceiro amoroso e responde de forma mal educada a pessoa que necessita de apenas uma informação:
    - Oi amor só um minuto. Olha aqui cara, eu to no celular não posso ajudar você, para de me amolar, quer informação?! Pergunte para um taxista ou na banca de jornal.
    Logo depois do ato inadequado ela volta a sua conversa com quem estava ao celular:

    - Desculpa amor um desocupado estava me incomodando, acho que ele queria dinheiro para encher a cara de pinga...
Pois é caros amigos que estão lendo esse texto, isso é um pequeno exemplo do que hoje uma pessoa passa quando precisa de uma ajuda qualquer, tenho certeza absoluta que antigamente as pessoas eram mais solidárias umas com as outras, que os valores como a cordialidade, humildade, o amor ao próximo, a valorização entre os seres humanos, a civilidade, a moral e os bons costumes caracterizavam a imagem da sociedade de outrora, e por mais que as pessoas tinham seus compromissos, alguém iria se dispor para para auxiliar o seu semelhante. Hoje as pessoas estão ocupadas demais com suas particularidades, pois uma sociedade cada vez mais capitalista, onde o que reina entre as pessoas não são mais os valores éticos e sim a competitividade, ninguém mais se enxerga como ser igualitário, ou seja, que todos somos iguais, mas visualiza um ao outro como um rival que disputa algo, é assim em todos os segmentos da sociedade contemporânea.
Essa competitividade e o individualismo irracional, onde o espaço é disputado de forma bruta é causada pela força que o neoliberalismo causou em um processo histórico muito curto e que cada vez mais ganha força e o resultado é esse que notamos em nosso dia a dia, dentro de um ônibus ou metrô por exemplo, ninguém conversa com ninguém, parece que todos são um bando de robôs ou zumbis, fechados em seu próprio “mundinho mesquinho” com aquela mentalidade mecânica e programada na mente : Levantar; tomar banho; café, transporte coletivo, trabalho; parada para almoço;retornar ao trabalho; fim do expediente; voltar ao coletivo; chegar em casa; tarefas domiciliar; banho; dormir. Infelizmente hoje dentro de um espaço onde seres humanos diariamente frequentam (o mesmo exemplo do transporte coletivo) pouquíssimos mas são raríssimas exceções mesmo que se cumprimentam e conversam. No cotidiano em que vivemos a realidade é a seguinte, um está lendo o jornal, outro está escutando o seu Ipod, o outro está mexendo no seu tablet, o outro no celular e etc. Ah mais se entra alguém necessitando de uma ajuda humanitária seja ela qual for vai ser ignorada, todos estão presos demais com seus egoísmos, fingem que nada está acontecendo, fora os prejulgamentos e preconceitos que já fazem ao analisar o momento em que o ser humano está lá implorando por um pequeno gesto de gentileza humana em ajudar a pessoa necessitada .
E as redes sociais então?! Puxa vida nunca estivemos tão longe e tão perto de alguém ao mesmo tempo, fazemos amizades virtuais tão rápidas como a velocidade da luz, e a consolidamos com tanta força, até parece que os amigos que fizemos com o outro que está há quilômetros de distância é tão forte que parece que foram amigos de infância, eles compartilham e curtem tudo que postam, os comentários são tão fantásticos, mas ao mesmo tempo o individualismo, o egoísmo e o orgulho é tão intenso que a criatura não é capaz nem de dizer um bom dia, para o vizinho ali do lado de casa, ou pro seu parceiro de condomínio.
Eu me pergunto qual irá ser o resultado dessa sociedade cada vez mais tão distante, sem nenhum valor moral cívico, sem humanidade, sem nenhum resquício de civilidade e amor ao próximo, como vai ser o futuro de tudo isso?! Qual é o sentido de tanta luta por melhor qualidade de vida, tantos avanços tecnológicos, tantos discursos hipócritas de melhorar a vida do nosso planeta Queremos salvar o mundo, mas ao mesmo tempo nós não estamos sendo capazes de salvar à nos mesmos, dizem que cada geração humana que surge está mais evoluída, será mesmo?! Se estiver mesmo tão evoluídos eu humildemente lhes peço, por favor achem, descubram a cura para essa sociedade cada vez mais debilitada e doente, precisamos da cura desse tumor, o câncer que corrói a sociedade contemporânea, o nefasto individualismo que foi introduzido pela bactéria capitalista.
                                                                                                             escrito por : Pedro Bravo Jr.

2 comentários:

  1. Sim, Pedro! As pessoas estão completamente perdidas no seu mundinho e os outros sêres passam desapercebidos. Não se olha nos olhos quando se cumprimenta, é algo frio e mecânico na maioria das vêzes... Parece que a humanidade foi perdida e o que ficou no seu lugar foi apenas o egoímo que a muitos move, o individualismo, como se não fizêssemos parte de uma mesma nave.
    Muito boa e bem escrita a sua crônica!

    ResponderExcluir
  2. ..estamos na estrada da ruina, eh diferente vamos agredir.. amor eh ficcao.. tecologia eh vital.. ainda ousam indicar que felicidade se vende por ai.. depende do qnto voc pode gastar..

    ResponderExcluir


Este é um espaço aberto ao debate saudável e a critica construtiva.
Fique à vontade para expor suas opiniões nos comentários ou nos contatar via email. (arlan_souza1.0@hotmail.com)

 
Camaleão sentimentalista © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo