segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Como se fosse pedra.



     (imagem)


Ele estava ali, chutando pedras. Tentando pôr algumas virgulas em sua vida para poder pensar mais a respeito de certas coisas. Morria vez ou outra.
Aquele homem, menino, garoto, tentava entender porque certos sentimentos enrijecem e congelam. Talvez, pensou ele consigo mesmo, fosse como fazer exercícios diários, quando se para o corpo endurece. Ou como um velho senhor que ao se aposentar depois de uma vida inteira de trabalho passa a ter diversas enfermidades. Fosse como  fosse, aquele homem sabia que estava ficando seco, endurecendo feito pedra.
Em uma tarde qualquer sozinho em sua casa ele vasculhou alguns discos velhos, pôs a tocar velhas canções. Canções que em outrora o faziam chorar, rir e até cantá-las. Mas desta vez não. Nada mais o atingia. Talvez algumas centelhas de saudade e somente isso...saudade.
Mas então ele lembrou, como houvera pensado no princípio "alguns sentimentos enrijecem e congelam". Sendo assim poderiam perfeitamente descongelar, ganhar vida outra vez.
O homem tivera sorte, por hora e somente por enquanto seus sentimentos estavam congelados como se fossem pedra.
Certa manhã um conselho lhe foi dado. E foi então que ele ouviu uma voz sussurra baixinho em seu ouvido...
 - Cuidado para não petrificar, porque se isso acontecer talvez não seja possível reverter. - Bons conselhos devem ser seguidos, mas sinceramente, eu não sei o que o homem fez.

4 comentários:

  1. Achei esse texto tão sincero e delicado e inteligente, etc...
    Quem sabe escrever com intensidade e clareza, consegue transmitir extamente o que quer, impressionante.
    No face (Kleber Franco, que tem a foto de um peixinho no anzol, procura lá)vi uma instalação tão incrível, construiram um homem de pedras... só vendo emsmo, não sei descrever... é muito simbólico, sabe.
    E quantas pedras terríveis no caminho de tanta gente, mano.

    ResponderExcluir
  2. eu vi a instalação, e de fato só vendo mesmo. Ela por si só resume
    perfeitamente o que cada linha do texto quis dizer.

    "E quantas pedras terríveis no caminho de tanta gente" é mano, e quantas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Franco, tomei a liberdade de colocar a dita instalação como foto de capa do post.

      Excluir
  3. Com certeza muitos sentimentos nos deixam petrificados ao longo nos anos ....mas ao longo do do tempo tentamos reverter para que o cotidiano não nos mate...Palavras sinceras de quem já conviveu com isso!

    Esclarecedor e transformador em palavras sinceras!

    Nathy

    ResponderExcluir


Este é um espaço aberto ao debate saudável e a critica construtiva.
Fique à vontade para expor suas opiniões nos comentários ou nos contatar via email. (arlan_souza1.0@hotmail.com)

 
Camaleão sentimentalista © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo