terça-feira, 24 de julho de 2012

E quando não houver Amor ?


E quando não houver amor, o que eu faço?
Posso chorar? Posso gritar? 
Posso deitar sem amor, só pelo calor?

Posso rezar silenciosamente e pedir ao deuses dementes que me mandem querubins?
Posso então ir me deitar e sonhar, ou ficar de olhos abertos e me masturbar.
E quando não houver amor, o que eu faço?

Eu posso morrer?
Posso sofrer até que eu consiga crer
Até que eu consiga ver...
Até que eu consiga andar.

E quando não houver amor, posso me entregar ao sexo, ao corpo e ao ópio?
Posso tomar uma garrafa de gim e outra de vodka.
Posso sair correndo pelado mundo a fora até cair bêbado em lugar nenhum 
e me deixar ser usado por qualquer um.
E quando não houver amor, prometo procurar abrigo e me esconder.
 Prometo ler  as cartas que fizeste pra mim, em segurança até o fim.
 Até que volte a ter amor em mim.

E quando não houver amor, será o fim?


imagem >

2 comentários:


Este é um espaço aberto ao debate saudável e a critica construtiva.
Fique à vontade para expor suas opiniões nos comentários ou nos contatar via email. (arlan_souza1.0@hotmail.com)

 
Camaleão sentimentalista © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo