sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Sonoridade Nostálgica.

(imagem: google.com)


O garoto clicou em uma pasta antiga com musicas igualmente antigas. Eram canções nostálgicas que iam desde James Brow a Rita Lee, Cassia Eller e Legião. Ele usava apenas uma cueca branca; ia dormir dali a pouco mas antes decidiu tomar um pouco de vodka com gelo e shuerps. Aumentou o volume do pc no máximo e começou a mexer o corpo ao som de Caetano, o menino homem dançava bobamente e uma nostalgia mal fundamentada tomava conta do seu ser, ele estava aéreo, mas estava exatamente aonde queria estar e fazendo o que queria fazer. Depois ao som de Cazuza ele gritou.- Ideologia, eu quero uma para viver. Também dançou Rita lee, e repetiu junto com ela que amor é bossa nova e sexo é carnaval. Renato lhe disse para fechar a porta do quarto porque ao telefone podia ser alguém com quem ele queria falar por horas e horas. Até mesmo Roberto tocou naquela noite. Eram canções não de uma geração ou tribo, mas de um monte de gente igual e diferente.

O garoto dançava de modo a parecer um indígena invocando algum tipo de entidade, e de olhos fechados ele sentia toda a saudade contida naquele instante sonoro. Até que voltou para Caetano e pediu para deixarem-no viver, tentar e gozar, e com Ana ele jurou que não ia viver como quem espera um grande amor. Cassia Eller o fez pedir a Deus um pouco de malandragem, afinal de contas ele é só um garoto e não conhece a verdade. Nando Reis o perguntou se ele trocaria a eternidade por esta noite, mas o garoto não soube responder, pensou talvez que noites melhores pudessem vir. Ele disse aos Engenheiros do Hawai que não conseguia odiar ninguém, - e não mentiu enquanto a isso!
Paulinho Moska lhe perguntou o que ele faria se só lhe restasse este dia, foi então que o garoto pediu um help e os Beatles responderam - "Oh Darling, please, belive-me".
Todas aquelas musicas o faziam sentir saudade de um tempo bom, um tempo em que tudo era mais humano e mais consistente. O garoto, embora jovem, é claro, sentia essas coisas que o passar do tempo mostra, ensina e faz sentir.
Enquanto ouvia sua rica pasta de musicas nostálgicas o garoto pensou no quanto o tempo e espaço haviam mudado e no fundo ele sabia que mudar é, e sempre será parte do processo evolutivo do mundo, da pessoas e do universo.
Mas o garoto concordou consigo mesmo, que segundo o que haviam lhe ensinado, evolução é algo positivo, que vem agregar. Transforma sim, também! Mas acima de tudo, evoluir, segundo aquele jovem de cueca branca sentado de frente ao computador as três da manhã de uma sexta-feira, era crescer, transformar, e acima de tudo, tornar-se algo melhor.

11 comentários:

  1. Putz jovem de cueca branca??? acho que não precisava disso mas ta legal

    ResponderExcluir
  2. Arlan, achei bacaníssima a ideia do diálogo sentimental com os artistas. É isso que música, cinema e quetais nos fazem: colocam-nos em estações distintas, canais vários. Correçõezinhas: "bossa nova", "Paulinho Moska lhe perguntou", "please". Beijíssimos musicais e sucesso no blog!

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito esse texto remete a tempos que a música era realmente apreciada!!!
    Parabéns e que seu blog traga tantas alegrias quanto vc possa imaginar!!!
    bjus

    ResponderExcluir
  4. Estou ouvindo Caetano agora... UNS... queria ser amigo desse rapaz... vou seguí-lo... abraços!

    F.

    ResponderExcluir
  5. "O garoto, embora jovem, é claro, sentia essas coisas que o passar do tempo mostra, ensina e faz sentir."

    Garoto-poeta. Lindo demais.

    ResponderExcluir
  6. Adorei o post, você escreve beem, tbem curto essas musicas que passam uma mensagem pra gente hje em dia eh muito uooooô uouou.

    ResponderExcluir
  7. O texto é de muito bom gosto, o tal garoto curte um seleto grupo musical da MPB e ícones da música estrangeira que além de serem romancistas queriam revolucionar e evoluir essa sociedade, mas algo me deixou com um ponto de interrogação na cabeça, o que queria mudar esse garoto?, por que sentir saudades de um tempo em que não viveu?, Quais eram seus anceios?.
    E a pergunta que não quer calar, será realmente que a sociedade está evoluindo? onde está o resultados dessa evolução? e se esta realmente evoluindo por que temos tantos garotos iguais a esse que são saudosos de um tempo que nunca viveram, mais mesmo assim gostariam de ter vivido em uma sociedade de outrora (antepassada,fora de sua realidade) e mais uma questão, se estamos evoluindo por que ele faz ua regreção musical e não houve(pois pelo menos não é citado) nenhum cantor e nenhum gênero musical de sua sociedade evoluída? Será que esses grandes artistas citados conseguiram fazer uma evolução cultural?

    ResponderExcluir
  8. Tão contemporâneo, tão rítmico e poético, intensa a forma como a musica se manifesta e guia seu post, interessante o dialogo entre sentimento, realidade, musica e garoto. Acho que a musica consegue exatamente o que vc fez com o seu post, ela suavisa, informa, encanta, arrebata e responde, duvidas, amores, certezas enfim tudo. Que seleção maravilhosa de Rita Lee a Roberto, de Ana a Cássia, de Caetano a Beatles... sucesso. adorei a aventura de ler isso aqui rs... passo mais vezes.

    ResponderExcluir
  9. "You and me baby ain't nothin' but mammals
    So let's do it like they do on the Discovery Channel" (uma coisa).

    Ar, lã, amor...

    ... coisas boas de se ter em dias frios e claustrofóbicos.

    ResponderExcluir
  10. "You and me baby ain't nothin' but mammals
    So let's do it like they do on the Discovery Channel" (uma coisa).

    Ar, lã, amor...

    ... coisas boas de se ter em dias frios e claustrofóbicos.

    ResponderExcluir


Este é um espaço aberto ao debate saudável e a critica construtiva.
Fique à vontade para expor suas opiniões nos comentários ou nos contatar via email. (arlan_souza1.0@hotmail.com)

 
Camaleão sentimentalista © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo