domingo, 22 de abril de 2018

Deixa-me lhe dizer como me sinto a seu respeito


Veja, é importante que nos comportemos  como jovens quando jovens. Você me fez menino quando na verdade já sou um homem.

Amamos a ideia que temos de alguém.

Nas orações que fiz você falava de Platão, era versado em arte e adorava  história e política.
Nos sonhos que tive tú era moreno, polido e adorava um debate.
Nos diálogos (monólogos) que concebi você sempre me desarmava, derrubava meus argumentos e ria da minha minha estúpida inteligência. Tú me chamava até de arrogante mas o fazia com sorriso no rosto e me beijando a testa.

Sabe, eu nunca gostei de joguinhos, porque neles alguém sempre perde, mesmo que seja para aprender. Mas é  que aprender a lidar com sentimentos enquanto  somos estraçalhados é  um tanto doido e complicado.

Tenho falado de me preparar para os 30 mesmo não estando pronto para os 26.

Eu tenho uma teoria do amor próprio:
Preciso estar bem para ser ainda melhor com os outros, não por necessidade, mas por prazer, bem estar. Este é o amor sádio.
Engraçado, deixar que doa é para mim algo novo, deixar chorar, deixar ir... são conquistas novas. Houve um tempo em que amar para mim era sofrer, era nunca deixar ir, porque se eu deixasse, se disse se - ok - era como dizer - não te amei tanto por isso não insisti - hoje eu sou adepto do: gosto tanto de você garoto, assim como gosto de mim também, por isso eu respeito às tuas escolhas, porque havia uma vida antes de mim e haverão outras depois, se o que te faz bem está adiante de nós ou mesmo na tua vida pregressa, pois bem, você é livre, e não sou eu quem te faz livre, você é desde sempre, assim como eu também sou. E por isso que me permito lamentar, chorar, e deixar doer, me permito ainda lhe dizer que gosto tanto de você, que tú me bagunça e me infla de esperança e possibilidades. Me faz conjugar tudo com o nós. Mas menino, eu me permito e me dou ao direito de amar mais a mim, acima de tudo e de todos. Eis a lei primeira do mundo, de Deus e até dos aviões em queda livre: colocar a máscara de oxigênio primeiro em si mesmo.

Eu já lhe disse que vc tem os olhos castanhos claros mais lindos do universo? Não? Estou  dizendo agora! Falei das tuas curvas? Eu adoraria deslizar minhas mãos suavemente (e com força as vezes) sobre cada cantinho delas.
Contei que sonhei com o teu beijo? Era gelado. O meu é quente, imagina só a explosão que seria? Pois é, não foi. Tudo bem, você me trouxe de volta a mim mesmo. Andei procurando o que nunca perdi e quase me perdi nessa tour enviesada. Mas eu voltei, pra mim.



0 comentários:

Postar um comentário


Este é um espaço aberto ao debate saudável e a critica construtiva.
Fique à vontade para expor suas opiniões nos comentários ou nos contatar via email. (arlan_souza1.0@hotmail.com)

 
Camaleão sentimentalista © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo