quarta-feira, 10 de julho de 2013

DogVille





Ao assistir DogVille, do diretor Lars Von Trier, entramos em profunda análise do gênero humano e questionamos se não teríamos feito o mesmo que aquelas pessoas. A pobreza extrema, a fome e a ausência de educação não podem justificar atos de tamanha magnitude, pois penso que injustiças são cometidas dentro dos arranhas céus na Paulista tanto quanto são cometidas na favela logo ali perto. Todo ser humano tem dentro de si uma parcela de humanidade, não é piedade, é HUMANIDADE! Somos versados em poder nos imaginar no lugar do outro, e creio sempre que este pensamento é a melhor maneira de analisar os atos e as consequências humanas. Embora mesmo assim, nem sempre poderemos explicar as atrocidades causadas por nossos pares.
Se até mesmo um animal é condenado por seus atos, o que fazer quando nós, seres humanos, ultrapassarmos a linha do certo e coerente?

Aqui cabe citar a minha hipocrisia. Sou contra a diminuição por exemplo da maioridade penal, mas fica então a pergunta. Como punir nossos jovens que cometem atrocidades? Eu não sei!
Ponho então aqui, talvez como uma suposta justificativa, as palavras que li outro dia em um blog. - hoje nossos adolescentes, amanhã nossas crianças e daqui a pouco nossos bebes?
A violência e o descanso humano tem inúmeras vertentes, podem infelizmente nascer e crescer em diversos lugares e camadas da sociedade, mas creio, talvez arrogantemente, que a educação assim como extingue a pobreza seja ela o único e verdadeiramente eficiente caminho para uma sociedade mais humanizada.
Que aos nossos governantes fique o recado. Prisões, e principalmente prisões brasileiras não reabilitam jovens infratores, muito pelo contrário, são verdadeiras industrias do mal.
DogVille é um lembrete ao qual toda sociedade deve estar sempre atenta para se precaver e não comete-lo.






1 comentários:

  1. Assumo que acho um tanto complicado opinar sobre os assuntos políticos de hoje. É tão difícil estarmos descontentes com algo e não termos uma ideia concreta de como podemos melhorar. Claro, acho que algo deve ser feito e acho a crítica fundamental, mesmo sem uma ideia concreta, mas a sensação que isso causa é, simplesmente, desconcertante.
    De qualquer forma, é sempre bom ver uma opinião, um ponto de vista. Faz-nos enxergar de formas diferentes; faz-nos lembrar que não somos os únicos a se importar.
    Obrigada por me proporcionar esse prazer.

    E acredite, não vou parar de escrever! Não é algo que possa controlar. E obrigada por estar sempre por lá.

    ResponderExcluir


Este é um espaço aberto ao debate saudável e a critica construtiva.
Fique à vontade para expor suas opiniões nos comentários ou nos contatar via email. (arlan_souza1.0@hotmail.com)

 
Camaleão sentimentalista © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo